DJ NA ERA DOS LIVE STREAM - E-Music Station

DJ NA ERA DOS LIVE STREAM

Written by on 16 de maio de 2020

No momento há uma grande ênfase na transmissão de vídeo ao vivo (on-line), tornando-se uma grande oportunidade para os DJs alcançarem um público mais amplo, mais e mais DJs optam por transmitir a partir de seus estúdios para envolver seus fãs, passar o tempo e gerar conteúdos.

Embora possa haver uma sobrecarga de streaming, sempre há espaço para uma abordagem mais criativa, Boiler Room por exemplo, transmite ao vivo sets de DJs há 10 anos. Existem diversas maneiras diferentes de transmitir um dj set em uma live stream, as mais utilizadas são: diretamente do telefone usando áudio do mixer / controlador, no computador usando a webcam integrada e usando o smartphone como webcam sem fio, como uma segunda webcam móvel, as plataformas mais utilizadas são: YouTube, Facebook, Instagram e Twitch .

Há muitos anos Facebook e YouTube foram os recursos mais utilizados para o streaming de DJ, recentemente o Mixcloud, popular serviço britânico de streaming de música on-line, também entrou no jogo com uma nova função: Mixcloud Live, que promete zero quedas. Embora o streaming diretamente do seu telefone seja possível na maioria dessas plataformas, para DJs, geralmente é melhor usar um computador e um software de streaming dedicado, para ter mais controle sobre os ângulos da câmera, recursos e, mais importante, áudio .

O campeão de engajamento é o Instagram, muitos cultivaram públicos maiores do que qualquer outra plataforma com uma forma de transmissão simples utilizando apenas um dispositivo móvel alimentado por áudio de alta qualidade diretamente no telefone.

Média de tempo que um usuário acompanha uma live stream

 

Conversamos com DJ Patife um dos maiores nomes da música eletrônica mundial e neste artigo ele coloca sua opinião sobre a crescente acenação das live streaming:

 “Live stream na rede social, era até pouco tempo atrás a “válvula de escape” daqueles que nem se quer poderia sonhar com o campo do mainstream, seja nas telas da TV, rádio e principais veículos midiáticos. E como num piscar de olhos em tempos de pandemia e lockdown, o mainstream junto as grandes gravadoras, empresas e patrocinadores se voltaram para as redes sociais, atuando exatamente como atuam em seus respectivos campos, tornando a rede social num campo competitivo e com espaço reduzido para aqueles que não “investem” nada ou tem pouca relevância no mercado. Resumindo, o monopólio como sempre ditando as regras do jogo. Nem tudo é para todos, infelizmente, ainda sim não devemos deixar de fazer nossas lives, se você estiver fazendo sua live para duas pessoas, são duas pessoas que você está levando alegria e tendo oportunidade de mostrar seu trabalho.

Novas formas de conectar a musica ás pessoas através de streaming surgem a cada dia, uma delas é a soundmix.live uma mídia social de streaming de música eletrônica.

A plataforma permite que as pessoas se conectem ouvindo e interagindo nas lives streaming, com apresentações de qualquer lugar do mundo. Conforme a base de fãs aumenta  o DJ começa á gerar receita, existe um concurso mensal com prêmios em dinheiro para os DJs com melhor desempenho no Soundmix. $ 3000 dólares para ser exato! Os fãs podem premiar seus DJs favoritos através de presentes virtuais durante uma transmissão ao vivo, qualquer fã pode premiar o DJ com um presente virtual, que pode ser retirado em dinheiro, mas infelizmente não está disponível para o Brasil.

Existem histórias interessantes no universo de streaming, como por exemplo, lives ativas por três anos, isto mesmo que você leu, três anos, isto ocorreu no YouTube, que chegou á encerrar maior transmissão ao vivo da história da plataforma, um canal de música ficou ativo por mais de 13 mil horas seguidas e acumulou 218 milhões de visualizações ao longo de três anos, a plataforma retirou o vídeo do ar e baniu o canal.

A livestream funcionava como uma rádio pirata dentro do YouTube e, teoricamente, tocava apenas músicas sem direitos autorais e disponíveis gratuitamente. Ao longo dos três anos que ficou na plataforma tocando 24 horas por dia, o chat do vídeo se tornou uma comunidade em que pessoas conversavam enquanto ouviam as músicas.

Porém, Dimitri, 23 anos, o dono do canal, postou no Twitter que recebeu uma notificação alegando que seu canal estava infringindo as diretrizes da plataforma a comunidade ao perceberem que o vídeo saiu do ar, o público se revoltou e pediu que a decisão fosse revogada, então sem pensar o Youtube assumiu o erro afirmando em declaração no Twitter.

O ChilledCow retornou com a livestream dois dias depois de ser derrubado transmitindo músicas do estilo “LoFi”, este canal se tornou um dos meus preferidos, hoje tem 4 milhões de inscritos do mundo todo.

Em Maio de 2020 aconteceu uma das maiores dj´s live stream do mundo, com mais de 6000 artistas, Set For Love é o nome dado pelo embaixador do LNADJ, Nightmares on Wax . O conceito é usar o poder da música para arrecadar fundos necessários para os projetos como: Last Night A DJ Saved My Life que ajuda países em desenvolvimento. A extravagância de 72 horas reuniu um coletivo de milhares de DJs em todo o mundo. Aqueles que tinham interesse em participar faziam suas inscrições no site www.setforlove.org, escolhendo a hora em que desejam transmitir seu set e a plataforma em que desejam transmiti-lo junto do link de captação de recursos do LNADJ setforlove.org. As principais  atrações incluíram: Paul Oakenfold, Jackmaster, Nightmare on Wax, Saytek  e  Nick Warren.

A internet é um grande celeiro de negócios, e as redes sociais estão neste celeiro, gerando cifras milionárias, para algumas pessoas acessar o Facebook é algo divertido, para outros é oportunidade de negócio, é exatamente oque está acontecendo na lives. Para DJs com investimento zero ou reduzido nestas plataformas, os recursos disponibilizados também são reduzidos, diferente para um TOP DJ onde seu investimento é grande, esta é a explicação de lives de alguns DJs não caem e a sua cai na primeira e ou na segunda musica, isso desanima qualquer dj. Mas estas são regras impostas, chamado direitos autorais.

O aspecto de monetização para lives começam a emergir para dar suporte ao artistas, a plataforma Twitch já possui uma cultura de gorjeta estabelecida, os músicos e dj´s começam a testá-lo cada vez mais, esperando que os espectadores paguem para se inscrever no canal ou dar gorjeta diretamente a eles, de fato estas ações representam um novo paradigma no qual os artistas terão que ganhar a vida.

Neste novo paradigma existe um grande problema: quando os DJs tocam suas músicas em várias plataformas de transmissão ao vivo, os autores/produtores não estão necessariamente sendo compensadas adequadamente. A questão de direitos e licenciamento em relação a transmissões ao vivo é um campo minado legal. Em teoria, qualquer DJ que esteja fazendo uma transmissão ao vivo deve licenciar cada faixa que tocar, um processo que pode levar semanas, mesmo para profissionais da indústria da música.

As plataformas de transmissão ao vivo monitoram todo o conteúdo que está sendo transmitido e varia muito de uma plataforma para outra e tipos de negociação e acordos de licenciamento com grandes gravadoras e organizações de direitos de desempenho em todo o mundo. Em teoria, essas plataformas de streaming estão pagando algum tipo de royalties por cada faixa tocada, mas isso é apenas para as faixas que o software de reconhecimento de música capta. O Twitch, que supostamente ainda não negociou os mesmos tipos de grandes acordos de licenciamento, é uma área cinzenta ainda maior.

Com exceção de uma grande reformulação dos requisitos de licenciamento, juntamente com melhorias significativas no software de reconhecimento de música e no relatório de músicas para organizações de direitos relevantes, é difícil imaginar uma melhora generalizada em termos de pagamentos de royalties relacionados a transmissões ao vivo. Os próprios DJs têm pouco incentivo para se envolverem em minúcias legais, e os artistas cujos discos estão sendo tocados provavelmente não terão problemas com pagamentos. Ainda assim, quando alguns eventos de transmissão ao vivo de DJ arrecadam dezenas de milhares de dólares, mesmo por uma boa causa, isso levanta questões sobre a ética de capitalizar o trabalho dos artistas sem sua permissão.

Novas plataformas com um foco maior em relatórios precisos estão se desenvolvendo na direção certa, mas as perspectivas econômicas imediatas para DJs que transmitem ao vivo e artistas precisam de ajustes, mas isso ainda não se traduziu em algo que se assemelhe a uma fonte confiável de renda para artistas.

Falar de musica, direitos autorais, live stream é algo extenso, mas espero que este resumo tenha lhe chamado á atenção. Até o próximo artigo.

 


Reader's opinions
  1. Control   On   25 de junho de 2020 at 12:24

    É fato que cada dia mais, com as tecnolgias que vem aparecendo vem para simplificar mais a nossa vida.
    Nas lives com todo esse momento, muito ficou expostos diversas artes, e aberto a grande maioria.
    Com tudo, tambem vem a questão do acesso a camera de webcam, antes uma camera custava em torno de 100 a 150 reais, hoje a mesma camera esta em torno de 400 reais…
    Tambem temos a questão dos direitos dos produtores, acredito que surgiram mais plataformas de distribuição, tanto para transmissão de conteudo no qual todos ganhe.
    São questões bem complexas de varias perspectivas, que são importantes para nossa analise e compreensão.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *


[There are no radio stations in the database]